Google Docs ganha editor de equações matemáticas

Ainda não há como saber se a novidade é muito recente ou se já existia há algum tempo, mas um editor de equações matemáticas foi adicionado pelo Google no Docs, sem menção oficial. Já disponível há um bom tempo para os usuários do Knol, ele pode ser acessado pelo menu Inserir (em inglês, Insert) do serviço.

Equações matemáticas no Google Docs

Trata-se de algo bastante usado por matemáticos, engenheiros e outros cientistas, que preparam publicações dentro de uma linguagem de marcação específica, conhecida como LaTeX. Ela é bastante complexa (o que torna o recurso não muito intuitivo para qualquer um), mas também conta com uma bela tipografia para artigos científicos, que o Google Docs apenas compreende gerando resultados em imagens.

Se tiver bons conhecimentos de LaTeX, você pode digitar código livremente (já adianto que eles não podem ser muito grandes), ou então selecionar símbolos e operações nos menus que ficam em cima do editor. Uma API não documentada do recurso de gráficos do Docs converte o código em imagens com texto no sistema LaTeX em tempo real, e a insere no documento mantendo controle preciso do código de origem, para uma edição futura.

Para quem não quer desembolsar grana em adquirir soluções para fórmulas matemáticas no Mac, usar o Google Docs passa a ser uma ótima escolha. Mas também é interessante ressaltar os aplicativos nativos que oferecem ainda mais recursos para essa área, como a dupla MathType + Pages ‘09.

por Silvio Sousa Cabral | 17/09/2009

Anúncios

Brasil desenvolve satélite para pesquisa de microgravidade

São Paulo, 17 de setembro de 2009 – Pesquisadores brasileiros estão desenvolvendo um satélite para realizar experiências de microgravidade, ou seja,  em ambiente de gravidade reduzida. O equipamento está previsto para ser lançado em 2010.

O projeto foi batizado de Sara, sigla para Satélite de Reentrada Atmosférica, em desenvolvimento pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), um dos centros de pesquisa do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), do Comando da Aeronáutica, em São José dos Campos (SP).

O Sara está sendo feito pela indústria nacional e com mão-de-obra própria, treinada e qualificada no Brasil. O projeto propõe o desenvolvimento de uma plataforma orbital para experimentos em ambiente de microgravidade, destinada a operar em órbita baixa, a 300 km de altitude, por um período máximo de dez dias.

Aplicações

No futuro, o equipamento poderá ser usado para realizar projetos de pesquisa e desenvolvimento nas mais diversas áreas e especialidades, tais como biologia, biotecnologia, medicina, materiais, combustão e fármacos, entre outros.

Outro objetivo do projeto Sara é o incremento de estruturas que possam suportar o severo ambiente de reentrada na atmosfera terrestre.

Para este fim, os quatro veículos que compõem o programa, dois suborbitais e dois orbitais, deverão alcançar gradativamente o conhecimento necessário. Continue lendo

TIM venderá Galaxy e Magic

Felipe Zmoginski, de INFO Online

Quinta-feira, 17 de setembro de 2009 – 16h46

 

Dilvulgação

TIM venderá Galaxy e Magic
TIM venderá HTC Magic e Samsung Galaxy

SÃO PAULO – Após os fabricantes Samsung e HTC anunciarem a estreia de smartphones com Android no Brasil, a operadora TIM disse hoje que será a primeira a comercializar os aparelhos no país. 

O primeiro celular com Android a chegar às lojas no país será o Samsung Galaxy, com preço sugerido pelo fabricante de R$ 1799.

Leia também:

   Pesquisa analisa fabricantes de smartphones (18/03/2008)

Este valor poderá ser reduzido em parte, em função dos subsídios da operadora.  A expectativa da TIM, que recebe os primeiros lotes de Galaxy esta semana, é oferecer os aparelhos para venda até o final deste mês. Já o Magic tem vendas previstas para o final de outubro.

Segundo a TIM, os dispositivos serão entregues com aplicativos de serviços da operadora já instalados, como TIM Studio, TIM Music Store e TIM Games

Navteq, Nokia e Magneti Marelli se unem para integrar smartphone ao carro

Navteq em parceria com a Nokia e a Magneti Marelli, divulgaram uma tecnologia capaz de integrar smartphones com o sistema de informação e entretenimento dos veículo, para facilitar o trafego de informações.

Com a conexão do smartphone com o veículo é possível obter informações de telemetria , como por exemplo, dados do motor e nível de combustível. A combinação dessas informações com o GPS integrado ao veículo e ao smartphone, podem obter serviços baseados em localização como o posto de gasolina mais próximo quando o nível do combustível estiver baixo.

As três companhias afirmaram que com a integração também será possível oferecer funções de segurança baseados em Sistemas Avançados de Assistência ao Condutor ( ADAS, sigla em inglês) , como advertir os condutores para diminuir a velocidade quando se aproximar de uma curva perigosa

A conexão entre o dispositivo móvel e o sistema de informação e entretenimento será feito via Bluetooth ou mediante cabo USB, dependendo da duração da viagem.

O projeto está sendo desenvolvido em colaboração com a Nokia Research Center em Palo Alto, Califórnia, e está sendo apresentado em Frankfurt, Alemanha

Fundadores do Skype processam eBay

Reuters Quarta-feira, ]

16 de setembro de 2009 – 18h48

Getty Images

Fundadores do Skype processam eBay
Interface do Skype: processo de Niklas Zennstrom e Janus Friis se refere a alegações de roubo de tecnologia peer-to-peer.

Dimension 1000, da Dell, custa pouco e tem boa configuração

O desktop vem com processador de dois núcleos, 3 GB de memória e 500 GB de disco. Mas capacidade de upgrade é pequena.

 

Testamos o computador Dimension 1000, um modelo da Dell que tem preço muito acessível. No site da empresa ele custa 1.699 reais, já com um monitor LCD de 19 polegadas (899 reais sem monitor). A pergunta surge quando vemos uma desktop de baixo custo é: que tipo de tarefas ele pode realizar?

Para isso devemos olhar algumas coisas. Em primeiro lugar, sua configuração. O Dimension 1000 está disponível em quatro versões e a máquina que avaliamos é o modelo topo desta família. Ela vem com processador Athlon X2 7550, de 2,5 GHz, traz 2 gigabytes (GB) de memória RAM padrão DDR2 800, e disco rígido Samsung, padrão Sata II, de 500GB. Seu chip gráfico  (nForce 6150 SE) é integrado à placa-mãe e fabricado pela nVidia. O sistema operacional instalado é o Windows Vista Home Premium.

Na parte de trás estão quatro portas USB, conector para rede Fast Ethernet, dois conectores mini-dim (para teclado e mouse), conectores para alto-falantes, microfone e entrada de áudio. Traz também as antigas conexões de interface paralela e serial, além de modem para conexão discada.

Na frente estão disponíveis mais um conector para fone de ouvidos e outro para microfone. Abaixo do gravador de DVD está instalado um leitor de cartões de memória flash, tipos SD, MMC, MS-Pro, CF e xD.

Leia também:
>>> Cinco coisas que você deve fazer com um PC novo antes de usá-lo
>>> Um em cada três brasileiros compra computador sem pesquisar antes
>>> Como fazer o PC dar boot mais rapidamente

Considerações e testes
Para uma máquina de baixo custo, o Dimension 1000 traz um processador rápido, com um padrão de memória que funciona a uma frequência um pouco mais alta que os desktops desta categoria oferecem.

O chip de vídeo também é interessante. Não é capaz de rodar as últimas novidades em games, mas também não é um chip de vídeo dos mais básicos. Quanto a interface paralela e serial, podem muito bem ser úteis em aplicações comerciais, aonde ainda se utilizam algumas impressoras fiscais e outros dispositivos (como scanner de código de barras).

Mas o Dimension 1000 é um desktop limitado. O maior processador que sua placa-mãe aceita é que vem no modelo testado (Athlon X2 7550). A memória pode chegar até 4 GB e, quanto ao disco rígido, há uma ressalva. Apesar de haver duas interfaces Sata II sobrando, a fonte de alimentação não fornece conectores a mais. Ou seja, o equipamento foi dimensionado para apenas um disco rígido.

Dimension 1000: boa configuração e baixo custo

Para expandir a capacidade do vídeo, existe um slot PCI Express x16, mas placas de vídeo de alto desempenho também precisam de alimentação direta da fonte. Além disso, não há espaço e refrigeração suficiente para uma placa de vídeo desse tipo. Portanto,  apenas placas mais modestas podem ser instaladas.

Mas para tarefas mais pesadas e operação em multitarefa, esse desktop mostrou dar conta do recado. Para testar, abrimos o Excel, Word, PowerPoint, o navegador Internet Explorer e o Photoshop CS4. Com esse último, aplicamos filtros complexos em uma imagem de 12 megapixels, com 14 MB de tamanho. Nenhuma operação levou mais do que quatro segundos e ainda toda a modificação na foto era visualizada em tempo real.

Um vídeo em DVD também foi executado sem travamentos de qualquer tipo. Tentamos um vídeo em alta definição (720 linhas) e também não houve problemas.

O processador de dois núcleos e memória de 3 GB ajudam muito no desempenho do Dimension 1000 para multitarefa e processamento aritmético. Para gráficos vetoriais, como jogos, por exemplo, isso já não se aplica e o equipamento fica lento.

 

 

Dimension 1000

Fabricante: Dell
Para que serve: Desktop para uso doméstico e pequenas empresas.
Pontos fortes: Configuração oferece desempenho a preço acessível.
Pontos fracos: Arquitetura do gabinete e fonte de alimentação impedem upgrade de placa de vídeo com mais potência.
*Avaliação final  8,4
Preço: R$ 1.699,00 (com monitor incluído)
Onde encontrar: http://www.dell.com.br

Brasil não terá Windows 7 familiar

 

 
Postado por – Maurício Grego – 14/09/2009

 

 

Windows 7 Family Pack: oferta atraente, mas não para os brasileiros

Má notícia para os brasileiros: o pacote familiar com três licenças do Windows 7 não será vendido regularmente no Brasil.

O Windows 7 Family Pack será oferecido pela Microsoft nos Estados Unidos e na Europa. É uma oferta similar à do Office Home & Student, pacote de aplicativos vendido no Brasil por cerca de 200 reais, com licença para uso em três computadores. O Windows 7 Family Pack inclui três licenças de uso da edição Home Premium do sistema operacional. Nos Estados Unidos, vai custar 149,99 dólares. Seria uma opção atraente para quem tem mais de um micro e quer instalar o Windows 7 nessas máquinas. Seria.

Conversei com executivos da Microsoft Brasil e eles me disseram que não haverá pacote familiar no país. É uma decisão comercial, sobre a qual não quiseram fornecer detalhes. É possível que alguns brasileiros encomendem o software a alguma loja nos Estados Unidos e o usem em inglês mesmo. Também é possível que alguma loja venda a versão americana no Brasil, presumivelmente por um preço inflacionado. Mas não haverá versão em português brasileiro e o produto não será encontrado regularmente nas revendas. Assim, para a maioria dos usuários, o caminho será adquirir cópias avulsas, que certamente vão custar muito mais do que o preço do pacote familiar.