Novo PS3 custará US$ 299 nos EUA

19/08/2009

 

400990[1]

 A Sony confirmou uma versão slim do seu PlayStation 3, que estará disponível para venda a partir de 1º setembro, com preço sugerido de US$299. O anúncio põe um fim aos rumores da nova versão e traz outro benefício aos consumidores, o modelo antigo terá seu preço reduzido pelos lojistas.

         O novo console é cerca de 33% menor e 36% mais leve do que o PS3 original e, seguindo a onda da empresas ecologicamente corretas, ele promete gastar 34% menos energia do que o modelo anterior. Em termos de recursos eles são idênticos e com esse lançamento, aliado ao preço mais competitivo, a Sony deve acirrar ainda mais a briga com os seus concorrentes, Nintendo Wii e Xbox 360, da Microsoft. 

Fonte: Wired

Anúncios

Smartphone + netbook = NVIDIA smartbook

Smartphone + netbook = NVIDIA smartbook

A NVIDIA passou um ano dizendo que ainda havia muitas coisas entre netbooks e smartphones, então aí está: eis o primeiro smartbook baseado na plataforma Tegra. Mas, e aí, essa nova categoria de computadores é pura balela ou tem jeito de que vai ser a nova onda da internet móvel?

Mostrado ontem durante um evento da empresa em São Paulo, o equipamento da foto acima é o Mobinova Élan, com tela de 8,9 polegadas e design similar ao de um minilaptop – a única diferença, na verdade, é a articulação da bateria, que, quando puxada para baixo, deixa à mostra as duas portas USB e uma HDMI.

Agora, por dentro, o brinquedo não tem nada a ver com um netbook. Primeiro, porque usa o processador Tegra 600, de 650 MHz, que vem acompanhado por 256 MB de RAM e SSD de 16 GB. Tem Wi-Fi g, modem 3G embutido e Bluetooth. Segundo, porque o sistema operacional não é o Windows XP, e sim o velho CE (oras, por que não Android?).

Calma, não estamos voltando ao tempo dos handhelds. A interface que você vê parece com aqueles programas de início rápido usados em alguns netbooks. É uma boa para assistir vídeos, controlar o calendário e, principalmente, navegar na web. Pois é, a NVIDIA deu um passo agressivo rumo à nuvem.

Pelo menos ela tem dois bons argumentos: como consome pouca energia, a bateria de três células aguenta 10 dias rolando vídeos em 720p, 25 dias tocando músicas e dois meses hibernando, garante a fabricante. Ou seja, você poderia usar o produto como um celular, sempre ligado. A outra aposta está no preço baixo. A ideia é vender o smartbook no Brasil por 700 reais, desbloqueado, ou até de graça, no plano de alguma operadora.

O sonho da NVIDIA é trazer o brinquedo ao país antes do Natal e colocá-lo nas prateleiras das operadoras de celular. A empresa já está negociando com as quatro grandes do Brasil e também com integradores nacionais.


Postado por – Marco Aurélio Zanni – 18/08/2009

Brasil não é o culpado por problemas na rede

James Della Valle, de INFO Online

Terça-feira, 18 de agosto de 2009 – 16h33


Brasil não é o culpado por problemas na rede
 

<!–Tags:–>

SÃO PAULO – A Telefônica espanhola afirmou que o Brasil não foi o responsável pelos problemas de conexão que afetaram a rede na Espanha, deixando usuários sem internet.

Celular com Android custará até 25% menos que iPhone no Brasil

Modelo U8220, da fabricante chinesa Huawei, chegará às prateleiras em novembro, a tempo das promoções de Natal

O primeiro celular com o Android, sistema operacional do Google, produzido pela fabricante de equipamentos de telecomunicações Huawei, chegará ao Brasil com preço entre 20% e 25% menor que o valor do iPhone. Segundo o diretor de terminais da empresa, Luis Paulo B. Fonseca, o preço final do aparelho dependerá da estratégia de subsídio e de lançamento de cada operadora.

O modelo que chegará ao País é o U8220, cujo nome comercial ainda está em fase de definição. A estratégia das operadoras é ter o aparelho nas prateleiras em novembro, a tempo das campanhas de Natal, afirma o executivo.

De acordo com Fonseca, a Huawei já deu início ao processo de homologação do aparelho junto à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e a estimativa é que a análise seja concluída em dois meses. Em paralelo, a fabricante trabalha para embarcar o pacote de aplicativos do Google, em português, no celular.

Em fevereiro, a Huawei e a operadora TIM anunciaram um acordo para trazer aparelhos com Android ao Brasil. Apesar disso, Fonseca diz que a parceria não significa que a empresa italiana terá exclusividade na venda do U8220 no País. Pelo contrário, a fabricante chinesa está discutindo com outras operadoras sobre o aparelho. “A TIM, com certeza, está na frente, mas não terá exclusividade”, afirma.

Celulares com recursos mais sofisticados, chamados high end, explica Fonseca, não são aparelhos de mercado de massa – costumam vender entre 10 mil e 15 mil unidades por mês. Por isso, a estratégia da Huawei será tentar comercializar o modelo com Android por mais de um canal, em uma tentativa de ganhar escala.

Fonseca diz que não é possível estimar o volume de vendas do modelo, porque “tudo dependerá do esforço de marketing que as operadoras farão em relação ao aparelho”. Em 2010, a Huawei pretende lançar outros dois ou três modelos com o sistema operacional do Google no mercado nacional, mas ambos serão destinados a um público menos sofisticado que o foco do primeiro celular a chegar no País.

O U8220 tem tela sensível ao toque de 3,5 polegadas, sistema de posicionamento geográfico via satélite, recurso de troca de arquivos bluetooth, e as tecnologias de transmissão de dados High Speed Packet Access (HSPA) e High Speed Downlink Packet Access (HSDPA), que garantem alta velocidade no download e no upload.

A Huawei lançou seus dois primeiros celulares com Android em fevereiro, durante o congresso de mobilidade 3GSM. Os modelos apresentados na feira são o C8000 e o U8230.

Por Fabiana Monte, da Computerworld

18 de agosto de 2009 – 17h06