Lula reclama de preço de notebook nacional para projetos de inclusão

Se os preços dos notebooks locais não caírem, governo terá de importar equipamentos para escolas públicas, alerta presidente da República.
Se os preços dos notebooks fabricados no Brasil não caírem, o governo federal terá de recorrer à importação de equipamentos para atender escolas públicas. Esta foi o alerta dado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva aos fabricantes nacionais de PCs nesta sexta-feira (31/7) durante o evento para formalizar a entrega de 5,5 mil notebooks a alunos da rede municipal de ensino de Piraí, no Rio de Janeiro – primeira cidade do País a distribuir computadores para todos os alunos e professores da rede de municipal.

De acordo com uma reportagem da Agência Brasil, Lula reclamou da burocracia para licitar a compra de computadores para as escolas e cumprir os planos do governo de colocar computadores conectados à internet banda larga em todos os 55 mil colégios públicos do País até o final de 2010.

A decisão de distribuir 350 mil computadores em escolas no Brasil foi tomada em 2007, apontou o presidente Lula, que reclamou de entraves nas licitações de portáteis para inclusão digital. Segundo ele, o sonho de distribuir um computador para cada uma das 34 milhões de crianças da rede pública do país, tem sido dificultado pelos preços. O valor de cada portátil distribuído em Piraí é de 325 dólares (607 reais).

A distribuição dos 5,5 mil notebooks, somada a outros 700 laptops anteriormente adquiridos por meio do Projeto UCA (Um computador por Aluno) do Ministério da Educação, vai beneficiar 6,2 mil alunos das 21 escolas da rede municipal de ensino de Piraí. O investimento foi de 5,3 milhões de reais.

O presidente também admitiu a possibilidade de usar a estrutura da Eletronet – empresa controlada pela Eletrobrás, mas que se encontra em processo de falência – para atingir as metas de conectar todas as escolas do país em banda larga.

Publicada em 31 de julho de 2009 às 18h55

Anúncios

Código do Firefox 3.6 será congelado para lançamento alpha entre hoje e amanhã

O lançamento do Firefox 3.5 completou um mês hoje, e de lá pra cá foram realizados mais de 63 milhões de downloads no mundo todo. Mas quando se trata de desenvolvimento de navegadores web as coisas costumam andar bem rápido, e é por isso que a Mozilla começou bem cedo os preparativos para o seu próximo grande lançamento. A versão 3.6 do navegador da raposa já conta com uma descrição extensa no wiki da empresa e está com seu código a caminho de um lançamento alpha nos próximos dias.

Ele deverá ser congelado entre hoje e amanhã, para que um build seja liberado nesta sexta-feira ou, em última hipótese, na semana que vem. Nightly builds categorizados como 3.6 já estão no FTP da Mozilla há algum tempo, mas este seria o primeiro a utilizar o futuro Gecko 1.9.2, engine de renderização de páginas que estará na versão final.

Com o codinome Namoroka, o Firefox 3.6 conta com grandes mudanças planejadas, mas o que importa no momento são aquelas que já estão encaminhadas para os próximos meses de desenvolvimento e testes intensos junto à comunidade. No cronograma atual, estão listados nessa área os mockups visuais — liberados recentemente para Windows, visando às versões 3.7 e 4.0 — e o congelamento do código, algo que mostra basicamente o estado atual do projeto.

Nos próximos meses serão conduzidas etapas que trarão mudanças fundamentais, bem como a adaptação do navegador ao futuro Windows 7. Muito disso deverá ser implementado até o final do ano, mas o trabalho da comunidade deverá se intensificar durante o primeiro semestre de 2010, quando está previsto o seu lançamento. Até lá, é provável que a versão pule do 3.6 atual para algum valor superior, mas ainda é cedo para esse tipo de afirmação.

por Silvio Sousa Cabral | 30/07/2009 às 19:06